Fórum debate estratégias de captação de água em tempo seco

Publicado em: 29/07/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:
Professor da Politécnica-UFRJ reforça a importância da qualidade da infraestrutura de esgotamento sanitário das cidades

O professor da Escola Politécnica da UFRJ Isaac Volschan participou do FITS ÁGUA 2022 – Fórum Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade, com o propósito de debater o uso, a gestão sustentável, e principalmente, as estratégias de captação de água em tempo seco no Estado do Rio e no Brasil. O evento aconteceu nos dias 20 e 21 de julho, na sede da Fecomércio RJ.

Volschan, que dividiu a bancada do painel “Visão conjunta e complementar de drenagem e coleta – tratamento”, com os professores da Coppe/UFRJ Jerson Kelman e Paulo Canedo, e da FGV Luiz Firmino, enfatizou que “cidades com serviços de esgotamento sanitário pouco eficientes, tendem a poluir e contaminar mais as bacias d’água, comprometendo assim futuras utilizações e prejudicando o índice de desenvolvimento humano”. 

De acordo com o último relatório da ONU sobre o desenvolvimento dos recursos hídricos, muitas regiões do Brasil ainda enfrentam a escassez econômica da água, por conta da falta de infraestrutura, apesar do avanço de 1% ao ano no consumo de água doce. E isso em um horizonte cuja previsão de crescimento no consumo é de quase 25% até 2030.

“Infelizmente, esta é a realidade de diversos centros urbanos do nosso país e do mundo. E, a discussão técnica acerca da pertinência e viabilidade da estratégia de interceptação de esgotos sanitários em sistemas de drenagem pluvial e de transferência dos mesmos para o sistema separador absoluto é oportuna”, comentou o professor, que integra o Departamento de Recursos Hídricos e Meio Ambiente da Politécnica-UFRJ (Drhima) e também assina artigo sobre o assunto.

Organizado pelo Centro Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade (CITS), o FITS ÁGUA deste ano lançou seu olhar para a água em cenários distintos, mas integrados, como: Água e Energia; Agendas Nacional e Mundial dos Recursos Hídricos; Gestão Sustentável da Água, visando à Preservação, Eficiência e Segurança Hídrica; ESG; Gestão Costeira; Cidades Azuis e projetos de inovação e tecnologia sustentáveis.