Notícias

Sete equipes de competição da Politécnica-UFRJ são contempladas em edital da FAPERJ

Publicado em: 10/08/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:

Sete equipes de competição da Politécnica-UFRJ estão entre as 46 propostas contempladas pelo programa Apoio a Equipes Discentes em Projetos de Base Tecnológica para Competições de Caráter Educacional da Faperj. O resultado foi divulgado no dia 28 de julho. 

Trata-se de um edital que objetiva apoiar projetos de iniciação ou pré-iniciação tecnológica que permitam aos discentes aplicarem conhecimentos teóricos na execução de projetos práticos, com a finalidade de participarem em competições, nacionais ou internacionais, cujo objeto seja a experiência com nova tecnologia, inovação ou empreendedorismo, especificamente de caráter educacional.

Confira o que dizem os representantes das equipes contempladas: 

Aerodesign

“O incentivo representa a oportunidade de incrementar o desenvolvimento dos nossos membros e futuros profissionais da engenharia. Um investimento que nos permite trazer o conhecimento teórico da sala de aula para uma experiência prática, e validar os nossos resultados por meio de competições. O incentivo nos ajudará a aumentar a infraestrutura da equipe, e se faz valioso para o aperfeiçoamento de nossa metodologia técnica.”

– Fernando Coelho de Jesus, vice-capitão da equipe.

Baja

“Nossa proposta contém itens como ferramentas, materiais consumíveis, equipamentos e itens de infraestrutura. Os objetos pedidos na proposta visam viabilizar alguns projetos da equipe, bem como melhorar nossos processos com a aquisição das ferramentas e equipamentos, além disso, itens de infraestrutura permitirão um melhor trabalho do dia a dia da equipe.”

–  João Victor André, capitão.

Bots

“São editais como o da Faperj que viabilizam pesquisas e projetos sem fins lucrativos e inteiramente feitos por alunos, como os robôs da MinervaBots. Ser contemplado neste edital é um grande reconhecimento dos nossos 10 anos de desenvolvimento e divulgação da robótica, assim como a viabilização de uma total revitalização do nosso laboratório que foi muito prejudicado pelos períodos pandêmicos.”

– Danilo Paes, capitão.

E-Racing

“O edital significa o investimento em  equipamentos adequados para a realização do trabalho seguro e eficiente, materiais e peças (chapas, tubos, blocos de aço e alumínio), inovação (sensores para a telemetria e baterias eficientes), infraestrutura com novos computadores para as simulações. Assim, contribui para continuarmos como representantes da UFRJ na modalidade elétrica, que nos orgulha.”

– Fernanda Figueiredo, diretora de gerenciamento.

Ícarus

“Seremos capazes de adquirir componentes de extrema importância para nossa equipe e nosso protótipo. Entre eles, a reforma do nosso laboratório, com novos equipamentos e materiais, criando um melhor ambiente de trabalho. A aquisição de componentes para o protótipo, possibilitando uma maior inovação e o estudo para diversos projetos.”

– Breno Cipolatti, capitão.

Rockets e Sats

“O suporte financeiro possibilitará a compra de novos equipamentos e materiais para as equipes, favorecendo o desenvolvimento de novos produtos, foguetes de sondagem atmosférica e nanossatélites com tecnologias de sensoriamento remoto e experimentos astrobiológicos, sendo eles inovadores no estado do Rio de Janeiro.”

– Kaio Siqueira, capitão.

Notícias

ABC empossa a Profª. Gabriela Ribeiro Pereira da Metalurgia UFRJ

Publicado em: 05/08/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:

A professora Gabriela Ribeiro Pereira, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica e de Materiais (PEMM) da Coppe e do Departamento Engenharia Metalúrgica e de Materiais (DMM) da Escola Politécnica da UFRJ, e outros quatro jovens pesquisadores de destaque na ciência fluminense, serão empossados como novos membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC), na seção Rio de Janeiro. A diplomação será realizada durante Simpósio da ABC, no dia 15 de agosto, às 14h, na sede da instituição.

“Terei como principal desafio motivar os jovens a seguir a carreira de cientista, principalmente as mulheres, pelos próximos anos. É uma honra fazer parte da ABC”, celebra a professora, que é responsável pela disciplina “Ensaios Não Destrutivos” na graduação.

O evento será aberto pela presidente da ABC, Helena Bonciani Nader, pela vice-presidente regional para o Rio de Janeiro, Patricia Torres Bozza e pela membro titular Ana Tereza Vasconcelos, que ministrará uma palestra magna. Na sequência, cada novo acadêmico apresentará um simpósio contando um pouco mais sobre suas pesquisas, que no caso da professora da UFRJ focam no desenvolvimento de metodologias de inspeção e estudo de técnicas não destrutivas para avaliação estrutural e caracterização de diferentes materiais utilizados na indústria.

O evento também será transmitido ao vivo pelo canal da ABC no YouTube.

Conheça os outros membros que serão empossados:

Carlos Eduardo Ganade | Ciências da Terra
Pesquisador em geociências do Serviço Geológico do Brasil da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) e doutor em ciências, na área de geotectônica geoquímica, pela USP.

Marcelo Trovó Lopes de Oliveira | Ciências Biológicas
Professor associado do Departamento de Botânica da UFRJ.

Simon Griffiths | Ciências Matemáticas
Professor Adjunto da PUC-Rio.

Thaiane Moreira de Oliveira | Ciências Sociais
Professora do Departamento de Estudos Culturais e Mídia e do programa de pós-graduação em comunicação da UFF.

Notícias

Evento debate inspeção de dutos e demandas da indústria

Publicado em: 02/08/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:
Professor da Politécnica-UFRJ participa do evento com palestra sobre avanços das técnicas de END

Com o objetivo de gerar conhecimentos que auxiliem no desenvolvimento profissional e industrial para os segmentos de Óleo e Gás, Energia e Mineração, a Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Abendi) promoverá a 2ª edição da Jornada Técnica do Conhecimento em Inspeção (JTCI). O evento será realizado remotamente entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro.

Entre os palestrantes convidados está o professor do Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Escola Politécnica da UFRJ Cesar Camerini, que proferirá a palestra “Avanços das técnicas de END para inspeção de dutos e demandas futuras da indústria”, no dia 1º de setembro, às 11h30. A apresentação abordará o tópico de integridade e inspeção de equipamentos utilizados nas novas matrizes energéticas, trazendo a temática dos desafios associados às novas demandas de inspeção enfrentadas pelo grupo de pesquisa da UFRJ.

Direcionada também a professores e alunos de graduação, a 2ª JTCI abordará em sua programação temas como: Análise de falhas e mecanismos de danos; Análise de Tensão Teórica e Experimental; Aplicações de RPAS (Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas) em Inspeção – Drones; END na Indústria 4.0 e Internet das Coisas; Avaliação de integridade e da vida residual de equipamentos; Mineração (Inspeção, tecnologia, inovação); e Energia (Energia Eólica, Manutenção); Confiabilidade dos END e Equipamentos; entre outros.

Inscrições e mais informações em: https://www.jtci.org.br/index.html

Notícias

Fórum debate estratégias de captação de água em tempo seco

Publicado em: 29/07/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:
Professor da Politécnica-UFRJ reforça a importância da qualidade da infraestrutura de esgotamento sanitário das cidades

O professor da Escola Politécnica da UFRJ Isaac Volschan participou do FITS ÁGUA 2022 – Fórum Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade, com o propósito de debater o uso, a gestão sustentável, e principalmente, as estratégias de captação de água em tempo seco no Estado do Rio e no Brasil. O evento aconteceu nos dias 20 e 21 de julho, na sede da Fecomércio RJ.

Volschan, que dividiu a bancada do painel “Visão conjunta e complementar de drenagem e coleta – tratamento”, com os professores da Coppe/UFRJ Jerson Kelman e Paulo Canedo, e da FGV Luiz Firmino, enfatizou que “cidades com serviços de esgotamento sanitário pouco eficientes, tendem a poluir e contaminar mais as bacias d’água, comprometendo assim futuras utilizações e prejudicando o índice de desenvolvimento humano”. 

De acordo com o último relatório da ONU sobre o desenvolvimento dos recursos hídricos, muitas regiões do Brasil ainda enfrentam a escassez econômica da água, por conta da falta de infraestrutura, apesar do avanço de 1% ao ano no consumo de água doce. E isso em um horizonte cuja previsão de crescimento no consumo é de quase 25% até 2030.

“Infelizmente, esta é a realidade de diversos centros urbanos do nosso país e do mundo. E, a discussão técnica acerca da pertinência e viabilidade da estratégia de interceptação de esgotos sanitários em sistemas de drenagem pluvial e de transferência dos mesmos para o sistema separador absoluto é oportuna”, comentou o professor, que integra o Departamento de Recursos Hídricos e Meio Ambiente da Politécnica-UFRJ (Drhima) e também assina artigo sobre o assunto.

Organizado pelo Centro Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade (CITS), o FITS ÁGUA deste ano lançou seu olhar para a água em cenários distintos, mas integrados, como: Água e Energia; Agendas Nacional e Mundial dos Recursos Hídricos; Gestão Sustentável da Água, visando à Preservação, Eficiência e Segurança Hídrica; ESG; Gestão Costeira; Cidades Azuis e projetos de inovação e tecnologia sustentáveis.

Notícias

Incentivo à inovação é tema de evento na UFRJ

Programação prevê painéis, apresentação de trabalhos e rodas de conversa
Publicado em: 28/07/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:

Programação prevê painéis, apresentação de trabalhos e rodas de conversa

Investir em inovação é apostar no desenvolvimento da sociedade e no bem-estar de sua população. Por isso, a UFRJ tem como uma de suas metas a criação e disseminação de tecnologias inovadoras. No dia 1º de agosto, das 9h às 18h, será possível ter uma amostra dos projetos desenvolvidos pela universidade, durante o Dia da Inovação. O evento, que será realizado na Inovateca do Parque Tecnológico da UFRJ, contará com apresentações de representantes de instituições que investem no saber e no empreendedorismo, e de projetos de estudantes de mestrado e doutorado.

O Dia da Inovação começará com a participação da reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho, que mostrará as instalações que acolhem os projetos e atividades de inovação e empreendedorismo. Na sequência, duas mesas de discussão vão tratar das estratégias e do panorama da inovação no Rio de Janeiro e no Brasil. Fechando a manhã, uma discussão sobre a conexão entre indústria, universidade e centros de pesquisa. 

Na parte da tarde, o evento “MAI/DAI – UFRJ” contará com a apresentação de 20 estudantes de mestrado e doutorado, que irão mostrar o resultado parcial de seus projetos, realizados junto a empresas, e que serão debatidos por especialistas. São projetos com o selo da inovação, nas áreas de Química, Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos, Bioquímica, Biotecnologia Vegetal e Bioprocessos, Clínica Odontológica, Nutrição e Design. 

O programa MAI/DAI é uma ação coordenada entre a Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR2), a Agência UFRJ de Inovação e o Parque Tecnológico da UFRJ. A programação “Perspectivas de fomento para Inovação” conta com organização e participação da UFRJ (Escola Politécnica, Agência de Inovação Tecnológica, Parque Tecnológico) e Firjan.

Serviço:

Dia da Inovação

Data: 1º de agosto, das 9h às 18h.

Local: Inovateca (Rua Aloísio Teixeira, 564, Parque Tecnológico da UFRJ), Parque Tecnológico da UFRJ – Campus do Fundão.

Notícias

UFRJ Nautilus tem boa colocação em competição de drones para o combate a incêndios

Publicado em: 18/07/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:

A UFRJ Nautilus deu um passo importante no desenvolvimento de drones autônomos. A equipe, formada por alunos da Escola Politécnica e de outras unidades da UFRJ, conquistou a 12ª posição em competição da Conferência Internacional sobre Sistemas de Aeronaves Não Tripuladas. Realizada pela primeira vez, a prova aconteceu no dia 31 de junho, remotamente, e contou com a participação de mais de 50 equipes representando universidades da Europa, da Ásia e das Américas, entre elas as brasileiras Unifei e a UFMG.

Os estudantes foram desafiados a criar drones para o combate a incêndios no ambiente urbano, que precisavam se movimentar por um ambiente com obstáculos feitos em simuladores, detectar um incêndio e planejar uma trajetória para entregar uma bola extintora de incêndio.

A equipe da UFRJ competiu com o projeto Harpia, que ainda não está pronto fisicamente, mas pode ser usado em ambiente virtual. Segundo o capitão da Nautilus, Victor Prado, foram utilizados quatro algoritmos principais na criação: desvio de obstáculos, reconhecimento do alvo, estimativa da posição do alvo e cálculo da trajetória balística.

“Cerca de 70% das equipes inscritas não conseguiram pontuar na competição, em razão da dificuldade do desafio. Cometemos erros, mas conseguimos pontuações relevantes em determinadas etapas, entre elas as que mediam o quão próximo a bolinha chegou ao alvo. Para a próxima edição, utilizaremos ferramentas melhores e contaremos com a participação de mais membros para o desafio”, avaliou o capitão da equipe.

Neste mês, a UFRJ Nautilus se prepara para sua mais importante competição do ano, a Robosub, desafio para veículos autônomos submarinos – AUVs, que será realizada nos Estados Unidos, entre os dias 27 de julho e 2 de agosto. Esta será a sexta participação da equipe, que no ano passado conquistou o 3º lugar na prova de “Paper Técnico” e boas colocações em outras três.

Notícias

Dezoito egressos da Politécnica-UFRJ aprovados no concurso da Eletronuclear

Publicado em: 18/07/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:

Dezoito egressos da Escola Politécnica da UFRJ foram aprovados no concurso da Eletrobras Termonuclear S.A – Eletronuclear. O resultado foi publicado no dia 30 de junho.

A seleção foi feita através da aplicação de provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, constituída de 60 questões de múltipla escolha, sendo 25 questões de Conhecimentos Básicos e 35 questões de Conhecimentos Específicos.

Confira a lista dos aprovados, que atuarão nas unidades da Eletrobras Termonuclear S.A – Eletronuclear em Angra dos Reis e no Rio de Janeiro:

Aline Saddock de Sa Silva – Eng. Nuclear
Morgana Werneck Capodeferro – Eng. Ambiental
Ruan Vitor Ribas de Aragão – Eng. Civil
Thiago Padilha da Silva – Eng. Nuclear
Bruno Bassani Barreto – Eng. Produção
Pedro Andrade Maia Vinas – Eng. Nuclear
David Araujo Barbosa Vasconcelos Goes – Eng. Nuclear
Vicente Carlos Melo da Silva – Eng. Nuclear
João Adolpho Victorio da Costa e Costa – Eng. Elétrica
Gustavo Cezimbra Borges Leal – Eng. Elétrica
João Paulo Innocente de Souza – Eng. Mecânica
Raphael José de Sousa Coviello – Eng. Mecânica
Marcio Velasque Penido – Eng. Mecânica
Anderson de Farias Pereira – Eng. Metalúrgica e de Materiais
Rodrigo Costa Diniz – Eng. Nuclear
Beatriz Machado dos Santos – Eng. Nuclear
*Flavio Assumpcao de Castro – Eng. Mecânica
*Fernando Barbosa Monteiro Girao – Eng. Eletrônica e de Computação

*Atualizado no dia 25 de julho de 2022

Notícias

Petroteam se classifica para campeonato mundial sobre indústria de petróleo

Publicado em: 14/07/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:

Após conquistarem o 5º lugar no Regional Qualifiers, em junho, no Panamá, a equipe Petroteam, formada por alunos do curso de Engenharia de Petróleo da Escola Politécnica da UFRJ, retornou ao Brasil com uma das vagas garantidas para o Petrobowl Championship, que será realizado em Houston, nos Estados Unidos. A UFRJ é a única campeã mundial entre as universidades da América do Sul e Central e buscará pela segunda vez o título.

Organizado pela Society of Petroleum Engineers (SPE), o Petrobowl funciona no estilo “quiz de conhecimento”. Em ritmo acelerado e dinâmico, equipes de diversas universidades da América do Sul e Caribe são desafiadas a responderem com rapidez perguntas técnicas e não-técnicas, relacionadas à indústria de petróleo. A equipe que alcançar a melhor pontuação, vence a competição.

“Desde o retorno do Panamá, intensificamos ainda mais a rotina de estudo, dando cada vez mais foco para as áreas de machine learning e energias renováveis, que foram o grande diferencial no classificatório. Acredito que chegaremos ao topo novamente, pois estamos nos preparando bastante para representar a UFRJ”, garantiu Felipe Tiba, capitão da equipe – que é coordenada pelo professor Rafael Charin.

Tiba também destacou que será uma oportunidade única de se fazer networking com estudantes do exterior: “Está sendo uma das melhores experiências. A possibilidade de encontrar pessoas de países diferentes, que vivem culturas e rotinas distintas das quais estamos acostumados, mas que possuem o mesmo propósito, que é de se tornar um engenheiro de petróleo, é algo gratificante e enriquecedor.”

Os alunos Breno Bilar de Andrade, Douglas Silva de Almeida, Lucas de Lima Felix e Nayana Campos Oliveira, além de Felipe Tiba, embarcam no dia 1º de outubro para os EUA. Se vencerem o mundial, levam o prêmio de 5 mil dólares.

Notícias

Professoras da Politécnica-UFRJ são coautoras de livro sobre gestão ambiental e sustentabilidade em áreas costeiras e marinhas

Publicado em: 04/07/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:

A professoras da Escola Politécnica da UFRJ Alessandra Conde e Gisele Silva Barbosa assinam capítulos da segunda edição do livro “Gestão ambiental e sustentabilidade em áreas costeiras e marinhas: conceitos e práticas”, do Instituto Virtual para o Desenvolvimento Sustentável – IVIDES. A obra, lançada nesta sexta-feira (1/7), inclui 29 capítulos e conta com a participação de 100 autores e 20 revisores.

Nos capítulos, as coautoras da Politécnica-UFRJ buscam apresentar abordagens metodológicas e práticas educativas que possibilitem aos diversos participantes envolvidos, sejam estudantes, população afetada, pesquisadores, defesa civil, gestores ou empresários, atuar colaborativamente pela redução do risco de desastres.

Palestra da professora Alessandra Conde sobre os capítulos assinados por ela no livro

“A ideia é que os participantes sejam responsáveis pela qualidade do que é produzido em conjunto e pela integração de esforços, troca de saberes e experiências e ainda, pela colaboração para construção do conhecimento”, destacou Alessandra Conde, que foi uma das coautoras selecionadas para palestrar no workshop de lançamento da publicação, transmitido pelo canal do IVIDES no YouTube.

O livro concentra trabalhos em diversas áreas temáticas, voltadas para o gerenciamento costeiro integrado e à gestão ambiental das áreas costeiras, dada a complexidade de seu conjunto de aspectos ambientais e socioeconômicos e o adensamento populacional característico desta região. A leitura da obra está disponível aqui.

Conheça os capítulos assinados pelas professoras da Politécnica-UFRJ:

Notícias

Programação especial homenageia André Rebouças na Politécnica-UFRJ

Publicado em: 01/07/2022 Escola Politécnica da UFRJ
Compartilhar:

Evento trouxe ao público a ópera “O Engenheiro”, de Tim Rescala, e mesa-redonda sobre a história do primeiro engenheiro negro do Brasil

“Um engenheiro que encarnou o espírito do verdadeiro engenheiro politécnico”, assim definiu a diretora da Escola Politécnica da UFRJ, Cláudia Morgado, a trajetória de André Rebouças durante mesa-redonda que tratou de um dos grandes engenheiros brasileiros da época do Império e um dos principais abolicionistas de seu tempo. A vida de Rebouças — primeiro engenheiro negro do país, foi amplamente destacada em programação realizada no início de julho, no Centro de Tecnologia.

Na tarde do dia 5, aconteceu a mesa-redonda “André Rebouças: um homem além do seu tempo”, com o objetivo de debater temas como igualdade, liberdade, cidadania, história e cultura afro-brasileira, além de tratar dos importantes aspectos da vida do engenheiro, especialmente sobre as suas influências na Engenharia. O bate-papo teve a participação da bibliotecária e pesquisadora do grupo GEORGEA/CNPQ, Nanci Simão da Rocha; do diretor da Escola de Música da UFRJ, Ronal Silveira; com moderação da diretora da Politécnica-UFRJ, Cláudia Morgado; além de contar com apresentação de trechos da ópera “O Engenheiro”, com os barítonos e mestrandos em canto pela UFRJ, Paulo Maria e Tiago Cirino.

“Ele era a prova viva da excepcionalidade de uma pessoa. Uma figura emblemática, não só na Engenharia, mas também na história do país, sendo lembrado sempre por suas obras e seus feitos”, comentou a diretora da Politécnica, que em sua apresentação lembrou de uma de suas maiores e mais ousadas obras de Engenharia, a construção da Ferrovia Paranaguá-Curitiba, com um trajeto de 108 km, ligando a capital paranaense à cidade de Paranaguá, onde está localizado um dos principais portos da região sul do Brasil.

Em discurso emocionante, Nanci apresentou um acervo raro do “Dr. André” –- como ela gosta de chamá-lo, com documentos e trechos de livros, que traziam aspectos sobre o papel de André Rebouças naquela época. Entre eles, um livro que mostra a relação dele com advogados abolicionistas norte-americanos, que pode ser encontrado no Clube de Engenharia; e um texto assinado pelo engenheiro para inauguração de um novo curso para mulheres no Liceu de Artes e Ofícios.

“Em 2013 comecei a estudar este ilustre personagem, que travou uma luta para o compartilhamento de informação, educação, liberdade e igualdade. É emocionante poder falar de um homem tão necessário nos dias de hoje e de alguém que me despertou o interesse por acervos raros e divulgação da sua história”, destacou a bibliotecária.

Já no dia 6, o auditório Horta Barbosa recebeu a ópera “O Engenheiro”, de Tim Rescala. A trama fala sobre a proximidade de André Rebouças com a Família Real e a sua atuação nos bastidores do emblemático 15 de novembro, com abordagem da visão do engenheiro sobre a escravidão, das reações conturbadas ao acontecimento, até seu exílio.

A sobrinha-bisneta de André Rebouças, Ana Maria Enout Rebouças, acompanhou a ópera e se disse honrada pelo convite. “Fiquei satisfeita com o que vi, principalmente por manterem essa memória viva. Foi um espetáculo bonito e que certamente comoveu as pessoas”, contou.

Ao lado de Machado de Assis e José do Patrocínio, André Rebouças foi um dos representantes da pequena classe média negra em ascensão no Segundo Reinado e uma das vozes mais importantes em prol do abolicionismo no Brasil. Ao lado de Joaquim Nabuco e outras importantes figuras, ajudou a criar a Sociedade Brasileira Contra a Escravidão.

A obra teve direção musical de Inácio de Nonno, direção cênica de José Henrique Moreira e direção de movimento de Marcellus Ferreira. O espetáculo contou com a participação da Orquestra Sinfônica da UFRJ, com regência de André Cardoso, Diana Sosa e Rafael de Miranda. A direção geral é dos professores Andrea Adour, Homero Velho e Lenine Santos.

Tecnologia em prol de um melhor espetáculo

Na ocasião, o professor da Escola Politécnica Fernando Castro Pinto gravou o espetáculo utilizando uma tecnologia desenvolvida pelo Laboratório de Acústica e Vibrações (Lavi). O equipamento faz medições relacionadas à acústica, que reproduzem a forma com que a pessoa escuta. “Posso colocar o microfone para gravar o som, mas quando você está escutando, na verdade, o seu corpo está interferindo no campo acústico. Uma forma de você gravar isso com maior fidelidade para reprodução ou análise posterior, é com o uso de torsos de medição”, explicou o professor.

Segundo ele, trata-se de um aparelho que pode ser usado com um custo mais acessível para pesquisas e outras aplicações, entre elas na indústria automotiva e aeronáutica, se comparado a opções vendidas pelo mercado. “Com a gravação deste espetáculo podemos demonstrar as diferenças de acústicas nos ambientes em que são feitas as apresentações. Através das métricas, podemos acertar a acústica das salas e com isso melhorar a qualidade do espetáculo oferecido ao público”, concluiu.

Acesse o site do evento

*Atualizado em 14/07/2022